quinta-feira, 28 de outubro de 2010

BORBOLETA AZUL

(Por Maria Heloísa Fernandes)

Sobrevoa a vida
Leva e traz acordos
Programa os dias,
Forma amores
Desencontros e dissabores.

Nas asas, forças poderosas
Fortes, brilhantes, formosas
Amenizam dor, desprendem a alma
Sensibilidade, inquietude.

Saber que me guias
Engrandece o dia
Liberdade, sensação, poesia
Amizade, sorte, parceria.

Penetrante em tua cor
Respiro teu amor
Azul do céu, azul do mar, te quero!
Você me enlouquece.

Segue tua vida
Constante, perseguida
Lava minh’alma
Cura a ferida!

4 comentários:

Anônimo disse...

Ma.Heloisa nos traz este poema-vôo na metáfora da borboleta azul.Asas que anunciam aquela primavera interior tão necessária! Nos
transmitiu a sensação de movimento e leveza que a tambem poeta e webdesigner Jacqueline virtualizou apropriadamente.Parabéns as duas!
Abraço grande daqui. Fatima Barreto Michels

docmarcio disse...

Parabéns à Heloisa que sai na frente do Carrrossel como uma belíssima poesia que me instiga a fazer uma pergunta. Quem é essa borboleta azul capaz de mexer assim com a vida?

docmarcio disse...

Parabéns a Heloisa que saiu na frente do Carrossel com esta belíssima poesia. Que coisa instigante é essa que tem asas invisíveis e tem o condão de mexer com a nossa alma?
Excelente começo de blog.
Márcio

J. Machado disse...

Uma bela declaração, por uma poeta apaixonada!
Parabéns Heloísa!